O toque na primeira infância

Postado por: Denise Gurgel


E foi com 4 meses que a pequena Letícia recebe shantala da mamãe Thais. O intuito da mãe ao me procurar para o curso foi apenas estar com a pequena num momento diferente, apenas delas através de um momento carinhoso.

O cérebro não nasce pronto. Além da genética, as experiências vivenciadas nos primeiros três anos de vida são determinantes – até mais do que os genes - para moldar o funcionamento cerebral diante de situações estressantes, desafiadoras e frustrantes. 

Segundo a neurocientista Suzana Herculano-Houzel, dados científicos comprovam que o carinho dos pais, recebido na primeira infância (período entre 0 e 5 anos), é o grande responsável por reações cerebrais - às vezes só manifestadas na vida adulta. 

O carinho físico, o toque e o contato como a mãe, que é um moldador cerebral torna a criança mais hábil e com o sistema de proteção orgânico mais forte. 

Isso acontece por causa da ocitocina, um hormônio, que é liberado também no abraço, na massagem, na shantala. A ocitocina é responsável por fazer com que o cérebro produza a capacidade de vínculo e acalma todas as partes cerebrais acionadas em situações estressantes. O que é uma ótima prevenção da ansiedade e outros transtornos de comportamento que, às vezes, só se manifestam na vida adulta. 

Receber ou não carinho modifica para sempre como o cérebro vai reagir diante do estresse e da frustração. Mas apesar de ser muito mais marcante na infância, o carinho sempre influencia. Nunca é tarde para começar!



Depoimento Thais, mãe da Letícia.
"Conhecer a shantala através da Denise foi um imenso prazer, uma ótima professora, com muita paciência e serenidade e muito profissional.
É algo maravilhoso descobrir o quanto posso estimular minha bebê através do toque, dos movimentos, da interação e intimidade que a shantala proporciona.
 Estou no início dessa caminhada, mas tenho certeza que vamos colher muitos frutos e a Letícia vai estar cada dia mais feliz com o nosso momento de massagem."




0 Quem gosta de shantala comenta.:

Postar um comentário